quinta-feira, 22 de novembro de 2012

desenho


traço que alinha a memória
sistema em jogo
polimorfo sentimento
(a)parece no vazio
(des)aparece o delírio
escrito a lápis o sorriso
descrito a sangue o silêncio
imagem da mão que fala
desenho da polissemia
salta da folha
o motivo, o real do espaço
poetiza a curva que traço


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

tesouro



macia cor que te guarda
suave idade
olhos para o coração
que se faz pólen
alma para o vento
que se faz flauta
a soar primavera
a esperar o encanto pássaro
a descobrir e se por
na quieta rósea flor
tesouro que espalha e semeia
indizível silêncio
mergulho do olhar extático
no espanto barulho do medo
na alegria suave do amor
- foi só um beijo!


domingo, 4 de novembro de 2012

flores para o horizonte



dois mundos se tocaram
do mar, o céu se engravidou
choveu de emoção
deu à luz
filho interstício do azul, entremeio
uma linha chamada horizonte
marinho segredo
celeste passagem do medo
para o amor
enquanto os barcos da vida iam e vinham
levando a rotina de cargas pesadas
a terra produziu uma oferta
e o perfume vermelho do silêncio
entregou ao vento seu presente