segunda-feira, 10 de setembro de 2012

diz(para)

e o caminho se faz sozinho
dou o que mais procuro
é me tirado
projeção do desejo
carinho sufocado
inundado mergulhado
ilusão de sentido
efeito de imanentes
ondas profundas
pés cortados
perco a estrada e o destino
o carinho escorre
encharca de alma
o chão e o vestido




Nenhum comentário:

Postar um comentário