segunda-feira, 16 de janeiro de 2012



infância primeira
desequilibrado passo
ergo-me do tombo
meu aprendizado
criança pequena
nessa vida tão grande
nesse mundo perigoso
guardo num baú a memória
(im)pulsante, viva
e a chave joguei fora
que para começar tudo de novo
uma certeza, sou amada
mas não se pode fazer nada
é a curiosidade meu guia
e terei de experimentar a dor
para crescer


















Nenhum comentário:

Postar um comentário