sábado, 29 de outubro de 2011

espaço



a liberdade separa
como a morte liberta
e o fim nos sorri
porque o vidro  protege


esmurro o vento
até cansar 
e dormir
e entender
um filho


borboleta pequenina
aceito o vidro
o vento
e o caminho





quinta-feira, 27 de outubro de 2011

mapa

meu dia me consome
enquanto as letras se formam
enredo para o desejo
estrada para o encontro
conversa para o lugar


cidade projetada
o lápis traça o desenho
as ruas sabem o caminho
penso não ando
invisível forma de olhar


textualizo o abraço
e te faço sentido
virtual, pré-construído
eixo único
destino







quinta-feira, 13 de outubro de 2011



tua amizade haicai sobre mim
lua no céu aurora meu ser
filha que some
saudade infinita sombra minhas palavras
e eu permaneço
esperando você


apenas instante!
não quero ser um cubo d'estante...

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Castelo



meus sonhos se ergueram imponentes
erigidos bem mais altos que a montanha
pra te ver de longe
proteger
conquistar o teu fascínio


hoje tenho um castelo
e a paisagem mais linda
que o céu permite conceber
espero uma noite tranquila
e o sol pela manhã


há um prelúdio lá fora

domingo, 9 de outubro de 2011

vertical



é mar
maravilha de voar
profunda visão ao inverso


é sol
solene posição
de se entregar


entre o imperioso abismo
e o absoluto infinito
o amor me segura no ar