quinta-feira, 21 de abril de 2011

Salário

Estátua deformada do amor
caminha com as mãos estendidas
presenteia uma oferta
e carrega triste
no rosto a rejeição.
Atrás de sua cabeça,
outro rosto admira o tempo passado.
Olhar brilhante, vibrante,
ardente
prende o pecado.
Todos os dias
se transforma sua humana condição
numa coluna de sal: salário.

sábado, 9 de abril de 2011

Brinquedo

Foto: Ricardo Magalhães
Tudo está fora do lugar
observe o que o tempo faz
quanta solidão trouxe pra mim
e muita saudade...
Tentei mostrar-lhe que aqui,
no meu coração,
não era seu lugar...
insistiram em ficar
Acompanhar uma construção
é assistir as coisas serem
colocadas em seu lugar
é ficar mais velhos
com suavidade
mas também é levar-nos a outro lugar.
Agora já nem vivemos no passado
nem no futuro
estamos fora do lugar
Encontrar é palavra valiosa
num guarda-roupa bagunçado
num coração complicado
num caminho paralelo
Hoje vi no meio de um campo de futebol
um sofá de três lugares
e fique a pensar em coisas inusitadas
Não conheço meu lugar
por isso não posso dizer onde estou
de que lado sou e para onde vou...
talvez te faça uma surpresa

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Cachecol

Foto: Ricardo Magalhães

Por quantos ares já passei...
não há brisa mais desejada
não há temperatura mais esperada...
Sou como o vento:
ando por todos os cantos
sentindo a beleza
ao acaso me entregando...
mas como o vento
não sou a mesma por onde passo...
E hoje volto ao lugar
que fez de mim
a sensação de estar no lugar mais alto
de braços abertos
esperando um abraço...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Perfume

Foto: Ricardo Magalhães
Há sabedoria bastante em esperar.


Acalmar os sentidos
fortalecer o silêncio
sentir o perfume
a beleza enxergar
respirar bem fundo
arrepiar-se
lembrar o passado
olhar o futuro
pensar o presente
encontrar o caminho
viver o instante
aprender a ouvir.


A hora chegou.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Batom

Foto: Ricardo Magalhães

Não tive coragem de te dizer
foi preciso me embebedar
um cd antigo, música ao longe
Palavra que me levava de um lado pra outro
de tonta que estava
me deixou alta
completamente
Agora toda vez que quero te dizer a verdade
Tomo doses altas
Ponho sobre a mesa
Um copo de saudade
(às vezes tomo no bico)
e isso me faz feliz
saio de mim
cambaleando na estrada
esperando cair no teu portão

domingo, 3 de abril de 2011

Filtro solar

Foto: Ricardo Magalhães
Essa minha felicidade
é fingimento - 
por dentro é só tormento,
agonia, sofrimento
Minto para não entristecer
quem vive ao meu redor
Minto para fugir
de uma dor muito pior
Só falo a verdade quando escrevo
encontro salvação...
Quero só experimentar
mas minha consciência treinada,
carrasca, dona de mim
Não posso viver, por isso choro
Meu amor é muito grande
cabem nele tantas pessoas,
mas não posso amar...
Por isso quero estar em dois lugares
quero a sombra e quero o sol
quero o frio e o calor
meu deserto e salvador
o som e o silêncio
a fome e o alimento
Quero apenas a possibilidade
de ir contra as leis da Física
e te amar mais que a vida
dos meus sonhos.