segunda-feira, 15 de agosto de 2011


da vida a má rotina
estranha, esbarra,
desatina
faço do que me enlaça
laço feliz de fumaça
canteiro de obra
nobre material
é o que me sobra
dessa triste
realidade outonal
minhas lágrimas caíram
como folhas
e meus galhos quedam
secos
esperando a verde força
da terra
lutar contra a gravidade
e mudar a paisagem da vida
a partir de meus próprios poros

Nenhum comentário:

Postar um comentário